Estudo de caso

 

Estudo de caso 1:

Estudo de caso 2:

Estudo de caso 3:
| João - Ajudando a superar a discalculia |

| Tomás - Deficiências simultâneas |


| Bairro de Hounslow |
 
   
Estudo de caso 1: Ajudando o João a superar a discalculia
 
 
  Esse estudo de caso fala sobre João, um aluno de 6 anos e 10 meses. O João era o melhor aluno na aula de inglês. Entretanto, a escola sentia que ele tinha dificuldades muito sérias com a matemática e sugeriu que ele mudasse para uma escola para crianças com necessidades especiais. João era um aluno muito aplicado, nunca apresentou comportamento difícil ou fazia bagunça. Ele tinha muitos amigos na escola. Os pais dele achavam que seria muito difícil para ele adaptar-se em uma nova escola e preferiam que ele continuasse na mesma escola. Os pais estavam dispostos a oferecer a ajuda extra para que João pudesse acompanhar seus colegas na aula de matemática. Ele estava fazendo terapia ocupacional para tratar a dispraxia e já tinha feito fonoaudiologia.

João já fazia aulas particulares de matemática e, quando foi avaliado pela primeira vez, ele conseguia contar até 25 sem dificuldade, mas se confundia quando contava números maiores. Ele conseguia contar de 10 até 0 em ordem decrescente. Ele reconhecia os números no dado até seis, reconhecia a moeda de um centavo e moedas de dez centavos. Ele não sabia somar 8 + 1.

 
 
Pontuação da avaliação WISC-IV de João:

Testes da escala de compreensão verbal:
Semelhanças
Vocabulário
Compreensão

Idade 6 anos e 4 meses


Percentual de classificação

95
91
75

As pontuações totalizaram a classificação de compreensão verbal de 121, o 92o lugar na classificação percentual. Isso significa que em um grupo de 100 crianças, a classificação verbal de João era superior a 91 crianças do grupo.
Embora o teste não seja precisamente científico, a pontuação indicava que João tinha habilidade verbal muito elevada. A pontuação verbal também seria um indicador de bons resultados acadêmicos no futuro, sugerindo que ele era um aluno que facilmente chegaria a completar um curso universitário.

Entretanto, havia uma grande disparidade entre a pontuação verbal e a percepção de raciocínio, a memória de curto prazo e a velocidade de processamento.

A disparidade dos resultados de João era extrema e indicava que a crianças tinha deficiências específicas de aprendizado.


João foi diagnosticado pelo psicólogo educacional como portador de dispraxia e discalculia. As duas deficiências geralmente ocorrem simultaneamente e a primeira provoca a segunda. Com 6 anos e 10 meses de idade, João começou a fazer aulas particulares com um especialista em discalculia.

Primeira avaliação

No primeiro estágio de avaliação, João só conseguia responder corretamente:

Quando associava um objeto com exatamente o mesmo objeto, ligando um de cada vez.

Quando contava pequenos grupos de objetos para criar um conjunto maior.


O resultado da avaliação e da pontuação aritmética do teste WISC deixaram claro que, apesar da excelente habilidade verbal, João

Testes de percepção de raciocínio

Blocos
Conceitos de imagens
Matriz de raciocínio

Percentual de classificação:



16
9
9

Testes de memória de curto prazo

Dígitos
Sequências
Aritmética

Percentual de classificação:


16
16
2

Teste da escala de velocidade de processamento

Codificação
Busca do símbolo

Percentual de classificação:


2
16
 
 

não apresentava progresso normal na matemática. Mais especificamente, ele tinha muita dificuldade para reter e aprender todo tipo de conhecimento sequencial automatizado dos números. Ele entendia muito pouco sobre como os números se relacionavam, sobre como agregar valor ou como manipular os números.

 

Remediação

João começou um programa intensivo de intervenção matemática com duas horas de aula particular por semana, além de fazer os exercícios do site DynamoNúmeros quinze minutos por dia e jogar jogos de matemática em casa nos fins de semana. Os pais de João ajudaram muito e continuaram o trabalho de apoio em casa de forma consistente. João sabia usar bem o computador, achou o site do DynamoNúmeros fácil de usar e gostava de praticar sozinho todos os dias.

Os objetivos iniciais eram os seguintes:

Contagem e trabalho com números
- Praticar a contagem até 50
- Praticar a contagem a partir de números aleatórios
- Dizer qual é o número seguido de X (no qual X está entre 1 e 30), associar esse número com X mais 1, e 1 mais X
- Dizer qual é o número antes de X (no qual X está entre 1 e 30), associar esse número com X menos 1, e 1 menos X
- Praticar a linha numérica até 50
- Trabalhar com o quadrado de 100 para 50
- Desenvolver a contagem automática de 10 em 10 até 50
- Assimilar o conhecimento dos pontos de ligação no final de cada dezena
- Trabalhar a contagem decrescente de 20 até 0

Ligação entre os números
- Aprender as ligações de 10
- Praticar com a base de 10

Alocação de valor
- Aprender a "ler” os números em dezenas e unidades abaixo de 50

Desenvolver o uso prático do vocabulário matemático

Aprender a escrever sentenças simples de números

Aprender a resolver problemas simples em prosa

Na opinião do professor especialista, o DynamoNúmeros, combinado com os jogos de manipulação, foi elemento fundamental na prática diária e consistente que João precisava. O visual e os níveis interativos do site ajudaram João a assimilar o conhecimento automático dos conceitos essenciais de matemática. Ele progrediu facilmente da interação sinestésica com padrões numéricos para bastões numerados coloridos, até a manipulação de bastões numerados coloridos na tela do computador.

 

Segunda avaliação:

Após dez semanas, João já conseguia contar de 1 em 1 até 30, de 10 em 10 até 100, de 2 em 2 até 10, e de 5 em 5 até 25. Ele também conseguia contar em ordem decrescente de 20 até 0. Ele conseguia contar números sequenciais até 30 e completar intervalos de dígitos. Ele já conseguia dizer o número anterior e posterior na sequência de números até 30. Ele já conseguia entender a atribuição de valor até 99. Ele já entendia bem as ligações de 10, como em 2 + __ = 10, 8 + __ = 10 e 10 – 2 = __. João sabia efetuar adições simples e empregar o conhecimento adquirido para resolver problemas orais simples.
Na segunda avaliação, João já respondia corretamente:

Quando associava um objeto com exatamente o mesmo objeto, ligando um de cada vez.
Quando dizia os números na ordem correta até 20, e quando usava a modelagem física direta para adicionar e subtrair.
Quando comparava conjuntos de objetos e dizia qual era o valor numérico.
Quando contava pequenos grupos de objetos para criar um conjunto maior.
Quando dizia os números em ordem até 99.
Quando lia um conjunto de números de dois dígitos não sequenciais.
Quando dizia as sequências de números na contagem de dois em dois, cinco em cinco e dez em dez.
Quando lia um conjunto de números de dois dígitos não sequenciais.
Quando usava a estratégia de contagem para fazer adições.
Quando dizia os números em ordem decrescente até 20.
Quando dizia “sei a resposta”, durante a adição de dígitos únicos na multiplicação de 10.
Quando intercalava entres os múltiplos de 10 em uma linha numérica.

No final do primeiro trimestre do trabalho de intervenção, os pais de João tiveram uma reunião na escola e todos concordaram que ele poderia continuar na escola e receber o suporte adicional.

 

Observações do professor

1) Quando o aluno recebe ajuda extra, é impossível isolar os fatores diferentes e confirmar o efeito de cada um no programa integral: professores, professor especialista, pais, terapia ocupacional, manipulações e jogos de computador. No caso de uma criança com o perfil de João – com baixo raciocínio da percepção, baixa velocidade de processamento e memória de curto prazo –, o trabalho intenso com efeitos visuais e com o programa de matemática interativa é muito benéfico. O DynamoNúmeros pode ser acessado diariamente, junto com o uso de exercícios de manipulação durante as aulas, oferecendo a prática de que esses alunos tanto precisam.
2) É importante levar em consideração que, embora João sofra de discalculia, ele possui uma habilidade verbal cognitiva muito elevada. Nem todos os alunos progredirão com a mesma rapidez.

JellyJames Dezembro 2010

 
  Escreva para nós se tiver comentários, dúvidas ou perguntas: team@dynamomaths.co.uk  
     
 
     
 
 
Copyright 2010 JellyJames Ltd. Todos os direitos reservados.